O consumo de energia desregrado gera dor de cabeça na hora de pagar a conta. Mas para evitar o gasto alto, além adotar bons hábitos de consumo, escolher com atenção o tipo de iluminação faz total diferença. Instalar lâmpadas de LED, por exemplo, é um bom começo.

Entenda melhor, a seguir, como economizar com a substituição de lâmpada e, assim, ter mais tranquilidade na hora de iluminar cada ambiente da sua casa sem se preocupar com o bolso. Veja:

Como economizar por meio da substituição de lâmpada?

Você sabe, por experiência, que entre as despesas de casa a de energia é uma das mais altas. Para reduzir o gasto, seguimos algumas dicas, como aproveitar a iluminação natural, evitar acender e apagar a luz o tempo todo, manter as luzes apagadas em ambientes desocupados etc.

A economia, contudo, pode ir além: é só prestar atenção nos tipos de lâmpadas que você utiliza na iluminação residencial. O segredo está na checagem da eficiência luminosa, que indica o rendimento ao converter energia em luz por uma fonte luminosa.

A eficiência de cada lâmpada

Quando a eficiência luminosa de uma lâmpada for alta, isso significa que ela ilumina por mais tempo, desperdiçando o mínimo de calor durante a conversão.

Esse cálculo é baseado na relação entre lumens (lm) e watts (W), ou seja, entre o fluxo luminoso e a potência, que é quantidade energética despendida no consumo. O resultado dessa conta vem impresso nas embalagens do produto.

A eficiência da lâmpada fluorescente varia entre 50-90 lm/W, número maior que o das incandescentes, de 10 lm/W em média. As duas nem se comparam — observe — à eficiência energética das de LED: estas superam 150 lm/W. Não à toa, as incandescentes sumiram das prateleiras do mercado.

Fim das incandescentes no Brasil

Até 2016, as lâmpadas incandescentes deixaram de ser comercializadas no país de forma gradativa, com o objetivo de incentivar a compra daquelas mais econômicas e duráveis. A troca, estima a Organização das Nações Unidas (ONU), representa 5% de economia da energia elétrica no mundo.

Hoje, entre as lâmpadas disponíveis, está a fluorescente compacta, que economiza 75% da energia em comparação a uma incandescente de igual luminosidade. Já com as lâmpadas de LED, a economia chega a 85% — e é sobre elas que falaremos no tópico a seguir.

Por que dar preferência às lâmpadas de LED?

Pelo menos três benefícios das lâmpadas de LED mencionamos até aqui: elas têm maior eficiência luminosa, longa durabilidade e são as mais econômicas. As vantagens, entretanto, não param por aí, já que elas:

  • têm vida útil superior às demais lâmpadas;

  • são certificadas com Selo Procel;

  • liberam menos calor no ambiente;

  • não emitem radiação ultravioleta, danosa à saúde;

  • têm impacto ecológico nulo por não apresentarem metais pesados em sua composição.

Qual será minha economia na prática?

Quem responde é o próprio Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), que certifica e regulariza o funcionamento do produto. O órgão calculou a economia de energia ao trocar as lâmpadas incandescentes e fluorescentes pelas de LED.

O estudo se baseia em uma casa de dois quartos e com oitos lâmpadas ligadas 8 horas por dia. Veja os números:

  • por ano, considerando a conta de luz e o custo das lâmpadas incandescentes, uma casa gasta, em média, R$ 767,84 (R$ 63,98/ mês);

  • o valor cai para R$ 255,96 (R$ 21,33/ mês) quando se usam as fluorescentes;

  • com as de LED, o consumo anual chega a R$ 246,38 (R$ 20,53/ mês), uma economia de R$ 521,46;

  • em 5 anos, as incandescentes representam um gasto médio de R$ 3.839,20; as florescentes, R$ 1.063,80; e as de LED, R$ 687,88 (ou seja, ganho de R$ 3.151,32 nesses 5 anos!).

Como apresentado no post de hoje, vale a pena considerar a substituição de lâmpada por opções mais econômicas, tendo a de LED como prioridade. Essa aquisição representará economia para o bolso, ganho ecológico e mais beleza na decoração do seu lar.

Depois de saber o quanto você economiza ao substituir as lâmpadas, entenda agora a importância da redução do consumo de energia em casa. Boa leitura!

Share: