Realizar o levantamento das despesas empregadas em uma reforma ou construção é uma atividade que, por vezes, pode ser complicada. Por isso, montar uma planilha de custo de obra é essencial para manter todos os recursos sob controle — além de evitar gastos em excesso.

No post de hoje, nós reunimos 5 dicas para auxiliar você nessa tarefa, a fim de manter o seu orçamento dentro do planejado e evitar qualquer tipo de imprevisto. Confira!

1. Quantidade de material

Esse é o primeiro desafio de uma construção ou reforma: saber quanto de material será necessário para realizar todos os trabalhos — conforme o que foi previamente planejado.

O ideal é contar com um profissional experiente, que possa realizar o acompanhamento do planejamento e que já possua uma ideia geral do que será usado para concluir a obra. Aqui, não se esqueça de tomar cuidado com o desperdício: o reaproveitamento de materiais pode lhe ajudar bastante. 

2. Mão de obra

Os custos com a mão de obra são, geralmente, os mais altos na hora de realizar uma construção ou reforma. Assim, é importante verificar junto aos profissionais quais são os valores cobrados para realizar o trabalho planejado.

Uma boa prática é orçar o valor da mão de obra de acordo com o total da obra — e não por dias trabalhados. Isso evita que, caso ocorra qualquer imprevisto que atrase os trabalhos, o custo da contratação da mão de obra aumente.

3. Decoração

Ao pensar em uma obra, muitas pessoas acabam mantendo sua atenção somente nos itens que são utilizados durante a construção — e esquecem de que o projeto de decoração do novo ambiente também pode encarecer bastante o orçamento.

Já na elaboração do projeto, pode-se ter uma ideia de como ficará o resultado final e quais serão os itens necessários para decorá-lo. Com isso em mente, fica fácil realizar um orçamento em lojas de decoração — e procurar por melhores preços para incluir em sua planilha de controle.

4. Custos indiretos

Existem gastos que não chegam a ser orçados por terem um valor que, perto de outros elementos da obra, não é notável. Porém, ao reunir todos os custos em um apanhado geral, a falta desse controle pode gerar consequências.

Entre os gastos indiretos de uma construção ou reforma estão:

  • impostos e taxas de permissão;
  • combustíveis para deslocamentos;
  • alimentação;
  • aluguéis de máquinas e equipamentos;
  • desperdícios de materiais.

É interessante provisionar aqui, também, algum possível atraso que possa ocorrer e gerar mais custos. Não deixe esses pontos de fora, certo? 

5. Máquinas e equipamentos

Independentemente do tamanho da obra a ser realizada, sempre existirá a necessidade do uso de máquinas e equipamentos — para possibilitar e facilitar os trabalhos da equipe de construção. Esses itens podem ser próprios ou alugados.

Para máquinas e equipamentos alugados, seu custo será menor e poderá ser inserido nos gastos indiretos. Já a aquisição desses itens pode sair um pouco mais cara, e deve ser separada dos demais elementos da planilha de custo de obra para melhor visualização.

Montar uma planilha de custo de obra é a melhor maneira de controlar os gastos na construção — e evitar que o orçamento acabe estourando. Esperamos que, ao colocar em prática as dicas desse post, você possa melhorar o seu controle.

Gostou do post e quer ficar por dentro de mais dicas para a sua construção ou reforma? Siga a gente no Facebook e Instagram e não perca uma publicação!

Share: